quinta-feira, 11 de Outubro de 2007

Evolução Da Informação

Segundo a Wikipedia:
Dados na linguagem quotidiana significam informação. Contudo nas ciências exactas há uma clara distinção entre dados e informação. Os dados são uma dimensão desorganizada, quando os dados passam a ser organizados transformam-se em informação.
Os dados podem estar relacionados com a realidade ou com a ficção. Os dados sobre realidade consistem em enunciações. Uma grande parte destas enunciações corresponde a medidas ou observações de uma variável. Tais propostas podem abranger números, palavras ou imagens.

Um modelo sem dados não tem validade, são os dados que validam o modelo. Os dados não estão separados da estrutura, são complementares. Os dados, o contexto e o modelo estão em constante interacção.

Informação é o resultado do processamento, manipulação e organização de dados, de tal forma que represente um acréscimo ao conhecimento da pessoa que a recebe.
Informação analógica é aquela que os nossos sentidos ou os simuladores dos nossos sentidos podem captar.
Para haver informação tem de haver uma relação sem relação só temos dados.

Contexto é a relação entre o texto e a situação em que ele ocorre.

Uma relação é uma correspondência entre dois elementos.

Segundo a wikipedia:
Uma função é uma generalização da noção comum de "fórmula matemática". Funções descrevem relações matemáticas especiais entre dois objetos, x e y=f(x). O objeto x é chamado o argumento da função f e o objeto y que depende de x é chamado imagem de x pela f.

Analisar a informação passa por descobrir novas relações entre dados e explicita-las em formulas, trata-se de extrair o conhecimento.

No dicionário de Filosofia de Simon Blackburn, indução é um termo usado para designar qualquer processo de raciocínio que nos conduza de premissas empíricas a conclusões empíricas, que, apesar de apoiadas pelas premissas, não são dedutivamente deriváveis delas.
Assim, induzir é passar de um conjunto de hipóteses para uma conclusão que é compatível com essas hipóteses mas não pode ser deduzida delas a verdade das premissas não garante a verdade da conclusão.

Considera-se que um raciocínio é dedutivo quando, de uma ou mais premissas, se conclui uma proposição que é conclusão lógica da(s) premissa(s). A dedução é um raciocínio de tipo mediato, sendo o silogismo uma das suas formas clássicas.
Veja-se o exemplo (de raciocínio dedutivo/silogismo):
a)Todos os mamíferos são animais;
b)Todos os gatos são mamíferos;
c)Todos os gatos são animais.
A proposição c) conclui-se logicamente das duas anteriores, em que estava implícita.

Silogismo é um tipo de raciocínio dedutivo em que de duas proposições iniciais (as premissas) se infere uma terceira (a conclusão).

Metadados são frequentemente descritos como “dados sobre dados”. São informações adicionais necessárias para que os dados se tornem úteis. Em suma, metadados são um conjunto de características sobre os dados que não estão normalmente incluídas nos dados propriamente ditos.

Sabedoria: Os gregos (de que herdámos o vocábulo) distinguiam frequentemente o saber (episteme), entendido como conhecimento teórico, da sabedoria (sophia) -- conhecimento simultaneamente teórico e prático, ou seja, a sabedoria passa por usar o conhecimento. No seu significado etimológico, a palavra filosofia (que deriva de philos e de sophia) significa, por isso, “amor à sabedoria”.

Dados = Valor + Variável

Informação = Dados + Modelo Matemático

Conhecimento = Informação + Meta Modelo

Sabedoria = Conhecimento + Heurística

Meta Modelo é o modelo do modelo, o modelo do conhecimento, explica a informação, dá contexto à informação